Você já ouviu falar de overlearning? Isso significa estudar além do seu limite diário, o que pode prejudicar o aprendizado. Por isso, se está procurando métodos de estudo ou dicas para entender como estudar da melhor maneira, continue a leitura do nosso post. 

Como estudar melhor e em menos tempo com técnica de estudo? 

1 – Curva do esquecimento 

De acordo com estudos, a primeira vez que você aprende algo novo ou assiste uma aula, tem a melhor chance de reter as informações (até 80%), do que aprendeu apenas revendo o conteúdo novamente – dentro de 24 horas. Depois de uma semana, você terá a capacidade de reter 100% das mesmas informações em apenas cinco minutos de análise. A pausa do estudo é um dos melhores métodos para conseguir absorver o conteúdo. Para ter uma otimização do tempo de estudo, aproxime-o mais do dia em que você teve contato com o material do que próximo do dia de uma prova, por exemplo. 

2 – Mapa mental 

Um método que você pode experimentar nos seus estudos é montar um diagrama composto por alguns termos, ícones e flechas. Uma das vantagens – talvez a principal – é a possibilidade de criar uma ordem lógica das informações para conectar e relacionar a hierarquia de cada conteúdo. Outros benefícios do mapa mental para quem está buscando técnicas de estudo, são: 

  • Controle sobre processos criativos e analíticos;
  • Torna o estudo mais atraente, por ser mais perceptivo e interessante;
  • Reduz o estresse provocado pelo excesso de informação;
  • Impulsionam a produtividade;
  • São fáceis de reestruturar. 

Como fazer um mapa mental? 

A plataforma de estudos ExamTime publicou uma imagem que ensina fazer mapas mentais que pode deixar isso bem claro na sua cabeça: 

Fluxograma de técnicas práticas para criar uma mapa mental

3 – Resumo do conteúdo 

Uma parte “bônus” do estudo e que vai ajudar para que o conteúdo fixe na mente é a reorganização das informações lidas com as suas próprias palavras. Elabore fichamentos de cada texto (cartelas que contém as informações mais importantes sobre um capítulo de um livro, por exemplo). 

Escrever um resumo em si com as suas próprias palavras também é uma forma eficaz de absorver o conteúdo estudado. Faça como se você fosse o autor da apostila sobre o assunto, seja em texto corrido ou por tópicos. O importante é colocar no “papel” todas as suas interpretações e comentários sobre o tema. 

4 – Técnicas de memorização

Você lembra da sua época da escola, em que (provavelmente) você teve um professor que cantava músicas ou elaborava frases engraçadas para facilitar a memorização da tabela periódica, por exemplo? Isso faz parte de uma técnica chamada “Mnemônicas” ou “Táticas de memorização” (mais fácil, né?). Uma opção que pode ser usada é o acróstico, em que forma-se uma frase com palavras cuja primeira letra é a dica para o que deve ser lembrado. 

Outra estratégia é o acrônimo, palavra formada por letras que representam outras palavras. Um exemplo é a ferramenta de gestão CHA (Conhecimento, Habilidade e Atitude). Esse tipo de tática deve ser utilizado quando você precisar gravar conteúdos “sequenciais”, sem razão lógica. É uma boa ideia para gravar nomes ou números de leis. 

5 – Material impresso 

Apesar do smartphone e tablet serem convenientes por conta da facilidade, algumas pesquisas sugerem que os materiais impressos tradicionais ainda são mais vantajosos em alguns casos. O interessante é grifar com um marca texto para as informações mais relevantes. 

6 – Não releia, relembre

Ao invés de reler o conteúdo e ficar dependente das palavras ali escritas, que tal relembrar o que leu? Assim que terminar um texto, feche o livro e recite tudo o que você pode lembrar a longo prazo. 

7 – Passe conhecimento 

Foi comprovado que pessoas que aprendem algo novo e têm expectativa de ensinar para outros, apresentam melhor chance de recordação ao aprenderem novas informações. Por isso, experimente ensinar o que aprendeu a um colega ou até mesmo apresentando para si mesmo por meio do espelho. O importante é ter em mente que você é o professor. 

8 – Local do estudo

Você pode achar que não, mas o local em que você estuda pode fazer toda diferença na sua produtividade. Procure ter um espaço organizado para suas leituras em alguma parte da sua casa, mas vá além disso, procure mudar o cenário, principalmente se for ao ar livre. Isso pode aumentar os níveis de retenção das informações e a sua concentração. 

9 – Sleep-learning

Este é um termo (aprendizado do sono, em português) para explicar que, apesar de contraditório, recomenda-se estudar quando estiver cansado e dormir em seguida. De acordo com a ciência, estudar quando estiver mais cansado e imediatamente antes de dormir pode ajudar o cérebro a reter concentrações mais altas de novas habilidades, como falar uma nova língua ou tocar um instrumento. Isso acontece pois o processo de consolidação da memória está em seu ápice durante o sono “de ondas lentas”. 

10 – Método pomodoro

O método pomodoro defende a tese de dividir o trabalho em blocos e, em cada período, uma atividade é realizada, seguida de uma pausa. É uma técnica excelente para quem precisa otimizar o tempo. A cada 25 minutos com foco em uma atividade, deve-se fazer uma pausa de cinco minutos. Ao terminar quatro pomodoros, o descanso deve ser maior, 30 minutos. Nos momentos de foco, é importante se isolar, deixar o celular de lado ou qualquer outro fator que lhe cause distração. 

Existem algumas extensões do Google para método pomodoro, por exemplo, que podem auxiliar na  cronometragem do seu tempo de foco.

11 – Gravações em áudio 

Você é daquelas pessoas que grava melhor um conteúdo em áudio? Neste caso, o ideal é que você grave o conteúdo estudado para ouví-lo posteriormente. Se conseguir gravar seu próprio resumo sobre as informações vistas, melhor ainda! Ouça também alguns podcasts e aulas online sobre o assunto. 

12 – Simulados

Se você está estudando para uma prova específica, como de concursos públicos, Enem ou outro parecido, nada melhor do que pegar simulados dos anos anteriores para tentar decifrar algumas questões e ver como vai se sair. O site Qconcursos.com pode ser uma ótima ferramenta para ajudar nos seus estudos. 

13 – Estude em Grupo

Debater os assuntos que você precisa aprender pode ser uma ótima maneira de estudar. Isso porque você estará explicando e também recebendo informações que talvez tenham passado despercebidas durante as suas leituras. 

14 – Intercale o conteúdo 

Outra dica para levar na vida é estudar variando os temas dos assuntos ao invés de se concentrar em uma área só. Caso seja necessário, vale unir campos de assuntos semelhantes ou relacionados. Isso vai te dar um gás maior para passar mais tempo estudando. 

Agora é só colocar a mão na massa e começar os seus estudos. Vale ressaltar aqui que um método isolado nem sempre é eficiente. Portanto, misture as dicas aqui citadas para o seu melhor desempenho. Aproveitando, nos conte se você já tem um método de estudos. Sua dica pode ajudar outras pessoas!

Deixe seu comentário