Trabalhar e morar no exterior é sem dúvida o sonho de um grande número de jovens e adultos brasileiros. Segundo dados do último Datafolha realizado sobre o tema, 62% dos jovens na faixa etária de 16 a 24 anos afirmam que, se pudessem, deixariam o país.  O percentual vai diminuindo conforme a faixa etária vai aumentando, mas ainda assim a pesquisa apresentou números consideráveis: 50% das pessoas entre idades de 25 a 34 anos gostariam de fazer as malas do Brasil, enquanto 44% dos que estão entre os 35 e 44 anos, afirmam que partiriam.

Que o número de pessoas que sonham em ir embora é alto, nós já sabemos. Mas quantos conseguirão realizar esse sonho? Quantos estão dispostos a deixar os empecilhos — que podem ser muitos — de lado para correr atrás desse objetivo? Como tudo que nos propusemos a fazer nessa vida, trabalhar e morar em um outro país demanda esforço e planejamento para que você não se arrependa lá na frente. É exatamente por isso que reunimos neste post várias dicas que te auxiliarão muito no decorrer desse processo de transição.

Quais as formas de trabalhar no exterior?

Quem pensa em se mudar para o exterior, geralmente o faz em busca de oportunidades melhores e maior qualidade de vida, logo, presume-se que a última coisa que você quer é sair do Brasil para passar perrengue na gringa. Tendo isso estabelecido, você precisará de meios para se manter. Chegamos a um ponto crucial dessa empreitada: quais as formas de trabalhar no exterior?

Se engana quem acha que é uma missão quase impossível trabalhar no exterior. Sem dúvidas você precisará ter aptidão e preencher os requisitos solicitados mas, com um pouco de dedicação, você já pode chegar no país que escolheu com um emprego em vista. Abaixo listamos alguns dos caminhos mais trilhados por aqueles que já foram:

  • Funcionários de empresas multinacionais

Não é segredo para ninguém que vivemos em um mundo cada vez mais globalizado. Temos grandes empresas estrangeiras com sede em nosso país, que podem ser verdadeiras catapultas para impulsionar aqueles que sonham em viver no exterior com a garantia de que, ao chegar lá, terão como se manter.

  • Futuro trabalhador de empresas estrangeiras

Nem sempre você terá a sorte de ingressar em uma multinacional e se destacar ao ponto de ser remanejado(a) para alguma filial estrangeira da empresa. Isso significa que você deve abdicar de seu sonho de trabalhar no exterior? A resposta é não, muito pelo contrário. Apesar de ser um pouco mais complicado, empresas estrangeiras estão contando cada vez mais contratando funcionários das mais diferentes nacionalidades em seus quadros.

Inclusive existem muitos países que estão de braços abertos para mão de obra estrangeira qualificada para fortalecer suas economias. Nações como Canadá, Austrália, Nova Zelândia e até mesmo Portugal são reconhecidas pelas oportunidades oferecidas para profissionais que não nasceram por lá.

  • Empreender fora do país

É claro que nesta lista não poderia faltar espaço para quem tem o espírito empreendedor. Se tem uma coisa que praticamente nenhum país rejeita é a entrada de capital para aquecer ainda mais a economia local. Por exemplo, você sabia que existe uma modalidade do green card que oferece o tão sonhado visto definitivo para quem deseja investir e criar empregos nos EUA? O investimento inicial é alto (900 mil dólares para quem quiser investir nas áreas rurais e/ou com nível de desemprego maior que a média nacional ou 1,8 milhões de dólares para quem planeja investir nas demais áreas), mas ainda assim é uma possibilidade.

Caso você não seja milionário e ainda assim deseje investir em algum país do exterior, você também pode. Obviamente será necessário se atentar para estar de acordo com a legislação de cada país e ter aquele faro apurado para não investir em um negócio que não lhe proporcione os resultados desejados. Mas superando esses obstáculos, você pode acabar se tornando uma pessoa muito bem sucedida, que mora no país que sempre sonhou e de quebra é seu próprio chefe. Que sonho, não é mesmo?

  • Trabalho voluntário

Aposto que por essa você não esperava, mas é verdade, o trabalho voluntário pode ser uma grande opção para quem está desejando alçar novos voos. Existem vários programas humanitários, inclusive da ONU, que buscam pessoas dispostas a ajudar.

Provavelmente você deve estar se questionando como irá viver com trabalho voluntário? Claro, como está explícito no nome, você não receberá por isso, mas contará com o suporte necessário enquanto estiver participando do programa. É uma excelente oportunidade para conhecer outros países, vivenciar suas realidades, culturas e de quebra fazer o bem para quem mais precisa. Pode servir como uma experiência para que você tenha ideia de como é viver fora de seu país natal.

Como conseguir um emprego no exterior?

Agora que você já tem ideia de quais são as formas de trabalhar no exterior, deve estar se perguntando como conseguir, de fato, um emprego no exterior. Quais são os requisitos? Como fazer com a questão do idioma? E como validar o diploma, as experiências, preparar o currículo? Calma, respira fundo que vamos chegar lá.

  • Quais são os requisitos necessários para trabalhar no exterior?

Toda vaga de emprego solicita uma série de requisitos que o candidato precisa preencher para se candidatar, e com as vagas no exterior não é nem um pouco diferente. Antes de mais nada, como você deve imaginar, o requisito essencial é dominar ou pelo menos ter uma boa base do idioma no qual a vaga está sendo ofertada.

Um outro requisito importante que também envolve idiomas é o inglês. Mesmo que você não esteja indo trabalhar em um país de língua inglesa, essa é a língua mais falada no mundo e muitas multinacionais estão sediadas em países onde o inglês é o idioma oficial, logo o domínio dessa língua certamente abrirá portas.

Em um mundo globalizado, quem tem contatos tem tudo. Por isso é imprescindível que você faça e respire networking. Ter uma boa rede de contatos pode te ajudar muito lá fora. E como já diria o ditado: “quem não é visto, não é lembrado”, então não deixe de trabalhar isso.

Por último, mas não menos importante: tenha a qualificação necessária para o cargo que almeja. Apesar de parecer óbvio, muitas pessoas acabam se candidatando para vagas das quais não possuem os requisitos para preenchê-las. Além de ser uma situação desagradável, pode acabar resultando em um sentimento de frustração. Por isso é essencial traçar metas para saber claramente quais são seus objetivos, onde você está e até onde pretende chegar.

  • Como dominar outro idioma

Esse certamente é um dos questionamentos que mais ecoam na cabeça de quem quer tentar a vida em outra nação. Como humanos, somos seres essencialmente comunicativos e com certeza você não conseguirá se manter em um outro país se não puder se comunicar adequadamente.

Mas como dominar outro idioma? Infelizmente não existe uma fórmula mágica que te permita aprender uma nova língua da noite para o dia, mas existem muitos métodos que podem te auxiliar nisso. Escolas de idioma sempre são uma opção, mas você também pode recorrer a alternativas “caseiras”, como ouvir e assistir conteúdos no idioma do qual deseja aprender e conversar com nativos. Mas o essencial para que possamos aprender uma nova língua é não ter medo de errar, pois você deve estar ciente de que está explorando algo completamente novo e é errando que se aprende. Quem tem medo de errar não chega a lugar algum, correto?

Além disso, com o advindo da evolução tecnológica, você pode começar a ter contato com um novo idioma através da tela do seu celular, com aplicativos desenvolvidos especialmente para essa finalidade. Então não tem desculpas, comece a reservar parte do seu dia para estudar o idioma que deseja aprender para evitar perrengues lá na frente. Inclusive listamos uma série de técnicas para te ajudar a aprender o inglês, mas você pode facilmente adaptá-las para outro idioma de sua escolha. 

  • Como validar meu diploma e experiências?

Quando um brasileiro se forma no exterior, é necessário revalidar o diploma para exercício da profissão por aqui. Quando a situação é inversa, não é diferente. Então é importante estar atento quanto ao trâmite de revalidação do seu diploma para não ter dores de cabeça com isso. Esse é um processo feito junto ao governo brasileiro e ao do país para o qual você está de mudança.

Antes de mais nada, se você não está partindo para um país de língua portuguesa, muito provavelmente precisará recorrer a tradução juramentada do seu diploma e histórico escolar, que só pode ser realizada por um profissional credenciado à junta comercial de cada estado.

Documentos devidamente traduzidos? Então é hora do segundo passo: a Apostila de Haia. Estabelecida através da Convenção de Haia, a Apostila de Haia simplifica e diminui a burocracia para o reconhecimento mútuo de documentos no exterior. Por aqui, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) é a instituição responsável por esse processo, que funciona como a espécie de um reconhecimento de firma.

Após a realização desses passos, será necessário o envio dos documentos para o país de destino, que pode ser realizado pelo próprio cartório.

  • Como preparar o currículo e o perfil do LinkedIn

Para encontrar aquele emprego bacana, é necessário que você capriche no currículo e tenha um perfil do LinkedIn bem atualizado. Como estamos falando de trabalho no exterior, é muito importante que você verifique as particularidades de cada país, principalmente daquele em que você deseja se estabilizar. Isso é essencial porque uma informação que é imprescindível em um país, pode ser muito mal vista em outro e acabar te prejudicando. Países diferentes, culturas e hábitos diferentes (é sempre bom lembrar).

Por exemplo, você sabia que, de acordo com o Regulamento Geral sobre Proteção de Dados da União Europeia, as pessoas por lá só são obrigadas a informar no CV o nome, email, telefone para contato e perfil do LinkedIn? A ideia é zelar pela privacidade de cada um.

E falando em LinkdIn, é cada vez mais importante ter um perfil bem preenchido na rede social. A própria plataforma conta com ferramentas que te auxiliam muito nessa etapa, mostrando o nível em que seu perfil se encontra e quais informações podem ser inseridas para torná-lo ainda mais relevante para os recrutadores.

Ser compreendido também é importantíssimo, logo seu perfil deve estar preenchido no idioma oficial do país em que espera trabalhar. Outra opção — especialmente se estiver visando um emprego em alguma multinacional — é preencher as informações em inglês, que, como já dissemos, é a língua mais falada no mundo.

Como funciona o visto para trabalhar fora do Brasil?

Cada país possui regras muito específicas referentes a contratação de estrangeiros. Em muitos deles não basta ter a vontade de trabalhar por lá, você precisa de um visto que te autorize para não ser classificado como um imigrante ilegal (que é um grande problema).

Pode parecer redundância, mas mais uma vez é necessário ressaltar a importância do domínio do idioma, pois isso pode facilitar — ou dificultar — muito o processo para obtenção do visto.

Na maioria dos países, você só pode reivindicar o visto de trabalho se já tiver uma vaga garantida. Tendo isso, a empresa na qual irá trabalhar se encarregará de validar sua situação junto ao governo. De qualquer forma, cada país conta com suas especificidades e é importante consultá-las junto a suas respectivas embaixadas no Brasil.

Quais as vantagens de trabalhar no exterior?

Trabalhar no exterior pode funcionar como um verdadeiro divisor de águas na carreira do profissional que optar e tiver essa oportunidade. As empresas procuram cada vez mais profissionais capazes de agregar com suas experiências, e alguém que já teve contato com outras nações e culturas geralmente têm muito o que compartilhar.

Mas além das portas que podem ser abertas para quem pretende buscar experiências lá fora e retornar ao país, trabalhar no exterior pode lhe proporcionar muitas vantagens, desde contribuir para que se torne um profissional cada vez mais versátil até lhe permitir que vivencie experiências das quais não poderia se não tivesse encontrado um emprego na gringa.

Dependendo do país escolhido, você também pode se beneficiar com o câmbio. Já pensou ganhar em Euro ou Dólar? Nada mau, não é mesmo? Isso para não falar dos amigos, contatos e da carga cultural que obterá durante essa experiência.

Onde encontrar empregos fora do Brasil?

Nos dias de hoje, a forma mais prática de encontrar um emprego em outro país é por meio de sites especializados em recrutamento e seleção, afinal, seria no mínimo pouco produtivo — e talvez ilegal — ir até o país escolhido e sair batendo de porta em porta em busca de um emprego.

Mas aqui é preciso atenção para não cair em alguma das muitas ciladas espalhadas pela internet. Certifique-se da autenticidade e credibilidade dos portais em que está pesquisando e também das vagas por eles anunciadas.

Agora caso tenha alguns contatos lá fora dispostos a te dar aquela mão, também pode ser de grande valia. Além de contar com a indicação, você terá um “norte” e algo mais sólido para se apegar.

Por fim, não deixe de estar com documentos, como diplomas e passaporte, em mãos e em dia. Não vai perder aquela oportunidade por algo tão simples que poderia ter sido solucionado anteriormente.

Recomendações para quem quer ir trabalhar no exterior

Já encontrou o emprego dos seus sonhos no exterior, está de passagem comprada e de mala na mão? Parabéns, mas não permita que a empolgação faça com que você esqueça que passou uma vida inteira no Brasil e precisa deixar a casa em ordem antes de embarcar no avião.

  • Você provavelmente possui despesas mensais, como contas de água, luz, telefone, televisão e internet. Se você não vai mais morar aqui, não faz sentido manter tais despesas ativas, correto? Então não se esqueça de cancelar esses serviços.
  • Outra dica que pode te salvar lá na frente é deixar uma procuração para que uma pessoa de sua extrema confiança possa resolver os problemas em seu nome. Por mais que você não deixe nada pendente, sempre é melhor prevenir do que remediar.
  • Agora se tem algo que você não pode esquecer é de enviar sua Comunicação de Saída Definitiva do País (CSDP) para a Receita Federal. Apesar de ser um documento que muitas vezes é deixado de lado, é através dele que a Receita saberá de sua decisão e compreenderá que a partir daquele momento você deixa de pagar impostos no país e consequentemente não prestará contas.
  • Resolveu as questões burocráticas? Agora chegou a hora de abrir uma conta em uma instituição bancária, afinal, sua nova empresa provavelmente solicitará uma conta de um banco presente no país. Esse é um processo que, dependendo do banco, pode até ser feito ainda no Brasil. Além disso, temos alguns bancos internacionais que atuam por aqui, caso algum deles esteja presente no país em que você está prestes a se mudar, pode ser um grande adianto. Mas, antes de escolher um banco, faça a lição de casa: pesquise o histórico do mesmo, credibilidade e, claro, as taxas cobradas.
  • Para fechar nossa série de recomendações, duas coisas muito importantes: treine o idioma (nunca é demais) e se planeje financeiramente. Mesmo que já vá com um emprego certo, imprevistos podem acontecer e você deve estar ciente e preparado(a) para isso. Até porque, convenhamos, a última coisa que queremos ao nos arriscar em uma empreitada como essa é ter de voltar em uma situação mais complicada do que a que estávamos. Então vale muito a pena se prevenir. 

E se você chegou até aqui, já está mais do que pronto(a) para dominar esse mundão. Agora é botar a cabeça no lugar, se preparar para os novos desafios que te esperam e explorar o que há de mais incrível, diferente e magnífico que existe por aí. Boa sorte!

Deixe seu comentário