De uns tempos para cá, muito se fala em empreendedorismo. Mas afinal, o que é empreender? Teoricamente, isso significa o processo de iniciativa de implementar novos negócios ou mudanças em empresas já existentes. Muitas vezes está relacionado à criação de novos produtos ou empresas, envolvendo inovações e, é claro, riscos. Quer saber mais sobre como tirar as suas ideias do papel e virar empreendedor? Continue lendo este post! 

Como ter ideias para empreender? 

Não existe uma fórmula mágica para ter ideias de novos negócios, mas vale se atentar para algumas dicas: 

  • Sempre que tiver uma ideia anote, não importa quando e nem onde vai estar. Pegue o bloco de notas, guardanapo, qualquer coisa que possa servir para que você não esqueça do que acabou de pensar;
  • As ideias malucas podem resultar em grandes negócios. Por isso, pense grande e não tenha receio de “sonhar”;
  • Discuta as ideias com seus amigos. E veja a aceitação deles com relação à solução que você está propondo;
  •  Quando estiver sem criatividade para inventar algo novo, pensem em otimizar ideias que já existem;
  • Pense nos problemas que existem e em potenciais soluções para cada um deles. Não tenha limites para pensar em novas ideias. 

Não pense em ideias de negócios!

Os melhores insights de negócio surgem de modo natural. Então a dica não é pensar e sim observar: no trabalho, na rua, no restaurante ou onde for, você corre grande “risco” de encontrar uma solução para algo que as pessoas “sofrem”. Uma outra maneira de ter ideias é pegar um papel e anotar tudo que você “odeia quando …”. 

Mantenha-se atualizado na área em que quer atuar

Essa é praticamente uma regra no mundo dos negócios. É preciso ficar antenado nas tendências para criar ou impulsionar a sua empresa e mantê-la a par na competitividade com a concorrência. 

Aproveite para participar de eventos sobre tecnologia, inovação, empreendedorismo, leia livros, converse com pessoas que te inspiram e compartilhe o seu conhecimento. 

Melhore grandes ideias 

Até mesmo grandes nomes como Steve Jobs não via problema em copiar grandes ideias. Com isso, é de se pensar que muitas ideias são mal executadas, o que dá uma grande abertura para que você faça melhor. Tome algumas coisas como inspiração e crie novas ideias de negócio. 

Como empreender na prática? 

Mais com menos – o seu começo não precisa ser algo imenso e bombástico. Comece com o que tem. Vale muito mais começar aos poucos do que não começar por “ter pouco”. Muitos empreendedores iniciam com pouquíssimo dinheiro e tem um retorno significativo com o passar do tempo. 

Plano de negócios – pensar e definir uma estratégia consistente é um dos primeiros passos para empreender. Outros fatores que podem se tornar grandes diferenciais no seu perfil como dono do próprio negócio, é conversar com pessoas ou mentores de finanças, marketing e administrativos, já que essas “áreas” são essenciais em qualquer negócio. 

Coragem e atitude – é preciso ter confiança no seu propósito para realmente conseguir começar um negócio. É preciso ter foco, identificar o público-alvo, acionar uma rede de contatos e planejar o seu negócio para gastar menos do que fatura. Antes de qualquer investimento, pesquise e tenha senso de dono com aquilo que quer conquistar. Lembre que toda história de sucesso teve um começo. 

MVP – o Minimum Viable Product (ou Produto Viável Mínimo) significa a versão mais simples de um produto ser lançado, com uma quantidade mínima de tempo, esforço e desenvolvimento. É praticamente lançar o conceito da ideia e entender se a sua solução cativaria o público. 

Com isso, você não dedicaria tanto dinheiro e tempo em algo que não daria tão certo, ou pelo menos no formato em que está disposto. Se tudo der errado, talvez seja o momento de mudar a estratégia ou o público alvo. Comece testando um número de 100 clientes, por exemplo. Depois de todos testarem, veja como foi a jornada de cada cliente antes, durante e após consumir o seu produto. O que foi mais solicitado, quais foram as maiores dúvidas, elogios, sugestões? Vai ser show! Basta confiar. 

Networking – lembra das pessoas que você algum dia admirou ou que podem se encaixar no seu negócio? Este é o momento de fazer parcerias de sucesso, tanto para que você possa aprender mais com essas pessoas como para que elas complementem a sua ideia. 

Um é pouco, dois é bom – construir algo seu pode até ser o seu sonho, mas já parou pra pensar que você pode ir muito mais além e em menos tempo? Ninguém consegue erguer tudo sozinho. Pensando nisso, lembre de alguém que pode ser competente para te ajudar em alguma parte do seu negócio.

Três fases de existência 

É comum ouvir no mundo do empreendedorismo sobre resiliência, sobre permanecer no negócio e não desanimar. Mas ninguém explica e nem mostra um tempo “ok” de quando o negócio finalmente vai começar a dar certo, o que causa ansiedade e agonia. Mas vamos falar um pouco do que se trata cada uma dessas fases. São elas:

  1. Sobrevivência;
  2. Estabilização;
  3. Expansão

Todos conseguem aprender a empreender?

Empreender não é fácil, mas também não é impossível. A questão é ter ciência de que, para algo dar certo (ou não), você precisa arriscar. A verdade é que todos são capazes de empreender, justamente por existir diversos tipos de negócio, bem como tipos de empreendedor. Conheça alguns perfis:

Empreendedor que aprende

Este talvez seja um dos perfis mais comuns existentes. O empreendedor que aprende é aquele “cara” que se depara com um problema e encontra nele uma oportunidade de negócio. Além disso, outra característica é tomar a decisão de mudar o que faziam para dedicar seu tempo ao próprio negócio. 

Normalmente, este perfil é aquele que teve um emprego com salário “fixo” durante toda a vida e jamais pensou que assumiria riscos. Entretanto, quando vê uma brecha para mudar a sua vida e das pessoas que serão seu público-alvo, começa a ficar entusiasmado. É importante destacar que este tipo de empreendedor necessita que uma oportunidade apareça, o famoso “bata na porta”. 

Empreendedor nato

Este perfil de empreendedor geralmente são pessoas que começam trabalhar desde muito cedo, sem grandes condições e acabam criando negócios que são super reconhecidos. Algumas características deste perfil mostram que são visionários, otimistas, estão sempre um passo à frente e sempre estão 100% comprometidos para realizar seus sonhos. 

Empreendedor social

Este tipo de pessoa busca inovação social no lugar dos fins lucrativos. Algumas características que se destacam são criatividade, visão e determinação. Este perfil se encaixa em negócios éticos, órgãos governamentais, públicos, comunitários e voluntários.

Empreendedor por necessidade

Como o próprio nome diz, estes empreendedores são aqueles que iniciaram um empreendimento autônomo por não encontrar opções “melhores” de trabalho e precisam gerar renda para si e suas famílias. Este geralmente é o que precisa se planejar ainda mais para fazer com que o seu negócio realmente vingue e tenha sucesso, já que iniciou algo do zero e sem conseguir pensar “demais”.  

Empreendedor serial

Este geralmente desenvolve uma série de produtos para gerar o seu lucro. É aquele que cria um negócio para vendê-lo, utiliza o capital ganho com tal ideia para criar outro produto e vendê-lo novamente, tornando sua rotina de atividade em algo cíclico. Resumindo, a venda é parte do fim de um empreendimento e o começo de um novo. 

Empreendedor corporativo

O empreendedor corporativo tem um pézinho no CLT e um no autônomo. Cada vez mais este perfil tem ganhado importância por conta do crescimento das multinacionais e necessidade de inovação. Geralmente, são executivos que se destacam e buscam crescer dentro da empresa, gerando bons frutos para a organização. 

Apresentam conhecimento em gerenciamento de equipe, bem como ferramentas administrativas. São considerados ótimos negociadores, pois vendem a sua ideia e faz com que a empresa dê toda a liberdade necessária para que ele possa agir. As principais características são a autopromoção, confiança e agressividade nas metas.

Empreendedor herdeiro

Desde cedo este perfil de empreendedor é motivado a este tipo de negócio. Ele deve continuar o legado da família, administrando os negócios e os recursos envolvidos para que o empreendimento se sustente por muito e muito tempo. Neste caso, existem dois tipos de perfis: os mais inovadores, que buscam medidas diferentes das que a empresa está atuando e os mais conservadores, que tendem a manter as coisas como estão. 

Empreendedor planejado

O tipo “Empreendedor planejado” busca capacitar-se para conseguir agir com os próximos passos da organização, minimizando e tentando prever os riscos, além de ter uma visão clara sobre as metas e o futuro da organização. Este seria o perfil ideal para ser seguido, mas que não representa um número grande na prática. 

Como empreender com pouco dinheiro? 

Começar a empreender não é uma tarefa fácil, principalmente se você tem o perfil de empreendedor por necessidade e não apresenta capital para investir na sua ideia. Contudo, existem diversas ideias que exigem um investimento mais baixo e podem dar um retorno considerável no início e pode “ganhar corpo” para se tornar sua principal fonte de renda a longo prazo.

Costura 

Um bom negócio e que não vai demandar um valor alto a ser investido é a costura em casa. Se você tem essa habilidade e uma máquina para costurar, é um bom negócio oferecer serviços de reparo e mudanças de roupa. 

Além de conseguir trabalhar em casa e ter horários flexíveis, você será seu próprio chefe e ainda vai conseguir uma grana para começar. Como público-alvo, você pode atingir lavanderias, consumidores finais, se afiliar com estilistas, fabricantes de uniformes, entre diversas opções.

Você pode oferecer alguns diferenciais para o seu serviço, como esquema de leva e traz das encomendas. 

“Mundo pet”

Em um mundo cada vez mais amigo dos animais, trabalhar no segmento de pets pode ser um caminho que você pode começar para se tornar empreendedor. É uma boa opção se dispor a ser cuidador de animais no dia a dia ou eventualmente, como quando os donos dos pets viajam, por exemplo. 

Com isso, você pode ir até a casa do animalzinho ou preparar uma estrutura básica para que o mesmo fique hospedado na sua residência durante as viagens da família. Você pode divulgar o serviço em petshops e lojas de acessórios para pets. 

Outra opção é o dogwalker (passeador de cães, na tradução), também é outra alternativa para que você comece um negócio. Você pode criar uma página nas redes sociais para se divulgar em comunidades que gostam de animais. 

Você gosta de tirar fotos? O primeiro passo você já tem! Que tal optar pelo ramo de fotografia animal? Quem é realmente apaixonado pelo seu animalzinho, gosta de guardar muitas lembranças dele e nada melhor do que fotos (SUPER) fofas! 

Eventos

Outra ideia para você montar um negócio é a organização de eventos. É fundamental ressaltar que neste caso, é preciso ter um conhecimento básico sobre o assunto, principalmente por se tratar da realização de um momento especial das pessoas. Você pode direcionar o seu negócio para um tipo específico: 

  • Casamento;
  • Aniversário de criança;
  • Aniversário de 15 anos;
  • Aniversário de adulto (ultimamente muitas pessoas que completam seus 30, 40 e 50 anos, fazem festas maiores para comemorar);
  • Chá de bebê;
  • Chá de cozinha;
  • Chá revelação;
  • Despedida de solteiro.

Algumas características são necessárias para quem quer fazer algo nesse sentido, como ser criativa, detalhista, organizada e comunicativa. Procure anunciar o seu trabalho nas redes sociais e em outros canais da internet. 

Artesanato 

Sabonetes e óleos artesanais – dentre as atividades de artesanato, você pode usar diversas essência e colocar a sua criatividade para funcionar na hora de pensar no formato dos sabonetes caseiros. Outras opções que estão em alta são os óleos e velas. O melhor de tudo é o “baixo investimento” inIcial, já que o trabalho pode começar na cozinha da sua casa. Para vender os produtos, você pode montar uma loja virtual para apostar no comércio eletrônico! Aposte também em um espaço em feiras de artesanato e lojas colaborativas.

Ah! Você tem um jeitinho “camarada” para transmitir conhecimento? Que tal, além de subir na vida vendendo este tipo de artesanato, ajudar outras pessoas a trabalhar com isso e empreender também?

Professor? Que papo é esse?!  

Você sabe tocar violão? Canta? Fala inglês fluente? E está esperando o que para estudar metodologias que vão ajudar você a transmitir conhecimento para quem precisa? Muitas pessoas estão em busca de constante evolução em várias áreas da vida e podem precisar de uma forcinha sua! 

Culinária 

Para quem gosta de fazer bolos e doces aos domingo para a família, é possível destacar a produção de bolos, cupcakes ou até doces artesanais. Esta está entre as ideias de negócio que pode começar na cozinha da sua casa. Para começar a lista de clientes, vale entrar em contato com coordenadores de eventos, restaurantes e divulgar seu trabalho na internet. 

Quem tem habilidade na cozinha também pode pensar em ser um “personal chef”. Não sabe o que é? A gente explica. Você vai até a casa dos seus clientes para preparar alguns pratos mais “gourmets”, em ocasiões especiais. O ponto positivo de quem escolher seguir este caminho, é o baixo investimento, já que não é preciso ter um espaço de restaurante. 

Cursos para quem quer empreender

Curso: Empreendedorismo

Instituição: Udemy
Duração: 45 minutos

Idioma: Português


Curso: Eureka! Como ter ideias de negócio

Instituição: Descola
Duração: 1h10 + 2 horas de leitura para complementar o conteúdo

Idioma: Português 


Curso: Plano de negócio

Instituição: iPED
Duração: 80 horas

Idioma: Português


Curso: Procurando investimento: formas de levantar dinheiro para o seu negócio

Instituição: Descola
Duração: 2h15 + 2 horas de leitura para complementar o conteúdo

Idioma: Português

Muito cuidado ao empreender

Empreender é em geral arriscado e é necessário ter bastante cuidado. Segundo dados do IBGE (2013,2014), 80% das micro e pequenas empresas brasileiras fecham antes de completarem um ano. De acordo com a mesma pesquisa, cerca de 40% das empresas sobrevivem após 5 anos (aqui já considerando médias e grandes).

Também leve em consideração que a empresa pode demorar meses ou até anos para retornar o valor investido (ou até mesmo para começar a dar lucro).

Portanto, estude bem a área de atuação e não se esqueça que as suas contas pessoais não vão parar de chegar. Você conseguirá pagar os boletos até a empresa dar certo?

Uma boa dica é investir em franquias. Apesar de um investimento um pouco maior, franquias têm um plano de negócios bem plenejado e o franquiador já conhece o produto e fez pesquisas de mercado que dão mais segurança. Rolam também algumas outras vantagens, como investimento em marca e marketing.

É, como vimos, existe muito trabalho a se fazer, não é mesmo? Então comece a se planejar e colocar a mão na massa! Boa sorte nessa nova jornada!

Deixe seu comentário